O Presidente da República e o chefe das Forças de Defesa recomendam ao Ministério do Interior apurar os motivos que levaram a polícia a um confronto físico com jovens na cidade de Maputo, as manifestações previstas.

para o último fim de semana. São manifestações batizadas em homenagem ao músico Edson da Crus, popularmente conhecido como Azagaia. Perdeu a vida no dia 9 de março na cidade de Maputo, vítima de doença. O chefe de Estado sublinhou que a investigação deve identificar pessoas que queiram explorar a virtude individual de Azagaia para concretizar os seus desígnios. Filipe Nyusi sublinhou que, nestes casos, a polícia deve reforçar o diálogo como mecanismo para encontrar pontos de convergência entre a ação institucional e o exercício dos direitos e liberdades fundamentais dos cidadãos.

O Presidente da República enfatizou que a sociedade moçambicana é construída sobre o fundamento da liberdade de expressão e protege o direito à liberdade de reunião e manifestação.

Falando na 18ª cerimónia de graduação em Ciências Policiais na ACIPAL esta quinta-feira, o Presidente da República disse ainda que após a morte da cantora Azagaia, o Governo manifestou proximidade à família através da Ministra da Cultura Eldevina. Materno

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui