Frederico Varandas

Frederico Varandas explicou várias decisões tomadas pela direção leonina no último mercado de transferências.

O presidente dos leões, Frederico Varandas, explicou, esta sexta-feira, à Sporting TV, algumas opções tomadas pela direção verde e branca no mercado de transferências.

“O Sporting não tinha de vender o Matheus Nunes. Tinha de fazer determinadas vendas de jogadores. Vendemos o Matheus como vendemos o Nuno Mendes, como há dois anos o Bruno Fernandes, Acuña, Wendell e no ano seguinte fomos campeões. Caminhamos para ter cada vez menos dependência da venda de jogadores. Investir no clube e aumentar a marca Sporting para termos mais receitas. Este recorde de resultados operacionais demonstram isso”, começou por dizer Varandas.

“Em relação ao treinador Rúben Amorim, é um treinador obcecado em pôr o Sporting a vencer. Tem a função de gerir o seu grupo e tem o objetivo de ter os melhores jogadores possíveis. Se um presidente não entende isto, então não tem o treinador certo. Muito se falou de tudo o que estava à volta, o Sporting tem a felicidade de ter um treinador com o qual tenho excelente relação profissional. Mas para além disso, temos uma ligação. Obviamente que a carreira de Ruben Amorim vai estar sempre ligada àquele momento que muitas pessoas acharam absurdo. Hoje voltaria a gastar todos os cêntimos que o Sporting gastou no treinador. Porque é o treinador certo e um treinador que quer ter o melhor grupo possível, mas está de corpo e alma no projeto Sporting. A reerguer o projeto Sporting. Tem a capacidade de perceber o que gostaria de ter, pode ter, mas temos sempre memória. Sente orgulho de ter chegado aqui. Vermos o que era o Sporting e o que é agora. E muito devemos a ele e a todo o staff”, frisou o líder leonino, antes de ser questionado sobre se sente a diferença para os rivais diminuida.

“Não sei o que é ser dos outros rivais… O Sporting é muito maior do que o seu presidente, quem quer que seja, do que qualquer ego. Ninguém está acima do Sporting. Estamos a lutar para que seja cada vez mais forte e competitivo. Ano após ano está cada vez mais preparado para o futuro”, realçou o presidente do Sporting, antes de comentar o futuro que se avizinha para o clube.

“Não nos vamos desviar da nossa linha. Temos uma linha em que houve palavra sustentabilidade. Queremos ser mais ambiciosos. Como? Tendo mais receitas, investimos mais. Se as receitas não crescerem, não investimos mais. Um eixo bem definido: formação, futebol e modalidades. Continuar a transformação digital do clube e manter a competitividade das equipas, seguindo sempre os nossos valores e ideais. Acreditamos num Sporting preparado para o futuro, competitivo e a lutar por títulos”, rematou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui