000_33A946B

As acusações incluem deportação ilegal de crianças e transporte ilegal de ucranianos para a Rússia o Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu um mandado de prisão contra o presidente russo, Vladimir Putin, na sexta-feira (17).

Putin é responsável por crimes de guerra cometidos na Ucrânia. Algumas das suspeitas incluem a deportação ilegal de crianças, o transporte ilegal de pessoas do território da Ucrânia para a Federação Russa e danos à infraestrutura civil.

Moscou nega as acusações. De acordo com a Reuters, o Kremlin ainda não respondeu aos pedidos de comentários. Além de Putin, o comissário russo para os direitos das crianças também recebeu uma intimação. O promotor do tribunal, Karim Khan, iniciou a investigação há mais de um ano. Ele suspeita que a Rússia cometeu crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio na Ucrânia desde o início da invasão. “Crimes foram supostamente cometidos no território ocupado da Ucrânia desde 2 de fevereiro de 2022. Há razões para acreditar que Putin está sendo processado pessoalmente pelos crimes mencionados”, diz a carta. Apesar dos desafios, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Maria Zakharova, comentou em seu canal no Telegram que não está preocupada.

“Os mandados de prisão do Tribunal Penal Internacional não têm sentido para o nosso país, também do ponto de vista jurídico”, afirmou. O porta-voz também lembrou que a Rússia não é parte do Estatuto de Roma do Tratado sobre o Estabelecimento do Tribunal de Crimes de Guerra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui